fundo parallax

Uma sensacional jornada épica medieval, diz leitor

29/05/2017

Uma sensacional jornada épica medieval, diz leitor

E

m uma edição recheada de belíssimas ilustrações e detalhes que enriquecem uma boa obra pertencente ao gênero, como mapas e capitulares em seus capítulos, somos apresentados, já nas páginas iniciais, ao terrível Slatan Mondragone, denominado Rei Negro, forjado e edificado pelo não menos hediondo mago Nuray, com o objetivo de dizimar o Cristianismo do século XVIII e que de pronto assalta, com seu exército, de forma avassaladora, o Reino de Orhan, na Bulgária. Difícil é não continuar a leitura após a implacável conclusão desse primeiro ato. Prosseguindo em um ritmo fluente tão natural que o passar da trama não é sentido, o autor de Monge Guerreiro, Romulo Felippe, com habilidade, nos insere em intermitentes batalhas entre o bem e o mal, mesclando altas doses de ação com o carisma e conflitos pessoais dos protagonistas, numa peregrinação de fé, amor, ódio e coragem, inseridos num contexto histórico entre personagens reais e fictícios. E não menos importantes são os elementos míticos inseridos com sutileza na narrativa e, ainda assim, acrescentados de forma coerente e impactante, particularidades que, ao final, enriquecem a obra, aproximando o leitor dos personagens e do mundo apresentado, possibilitando vivenciar cada cena e compartilhar cada emoção.

P

Personagens fantásticos, cavaleiros templários, vikings, hunos e até uma princesa mongol, descendente de Gengis Khan amparam uma trajetória recheada de combates, emboscadas, conquistas, fracassos e traições, consumando-se em uma derradeira batalha, onde nos defrontamos com um antagonista de palpável essência maligna e uma conclusão surpreendente. Ávida leitura em três dias”.

"José Carlos da Silva, Análise no Skoob" Nota: 5 estrelas


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *