Livro será lançado na Europa em 2018

Exibir tudo

Livro será lançado na Europa em 2018

Autor de “Monge Guerreiro”, Romulo Felippe assina contrato com a Newton Compton para publicar sua obra na Itália no final do ano que vem ***
O escritor percorreu cerca de 14 mil quilômetros e visitou dezenas de castelos medievais nos últimos cinco anos através de pesquisas de campo para compor sua obra literária sobre os Cavaleiros Templários.
O escritor e jornalista cachoeirense Romulo Felippe irá lançar o seu livro “Monge Guerreiro” para o mercado europeu no segundo semestre de 2018. A obra terá o selo de uma das gigantes do mercado editorial, a Newton Compton Editori, sediada em Roma. O contrato assinado entre a editora e o autor tem duração de dez anos, com a primeira publicação sendo lançada na língua italiana e em capa dura. “É uma honra e uma grande felicidade ver o meu livro ganhar espaço na Europa, refazendo o caminho contrário de meus antepassados, que migraram da Itália para o Brasil em busca de uma vida melhor”, afirma o escritor, que em 2017 completa três décadas de atuação no jornalismo impresso (começou aos 13 anos escrevendo as primeiras reportagens para o semanal O Brado, em Cachoeiro).

O livro “Monge Guerreiro” mescla história e ficção, descrevendo as jornadas dos Cavaleiros Templários para o transporte das duas mais importantes relíquias cristãs: a Coroa de Espinhos e a ponta da Lança de Longinus, que perfurou Jesus na crucificação. A obra, lançada pela editora Drakkar no final de 2016, está sendo aclamada pela crítica especializada brasileira e sua primeira edição praticamente esgotou.
Outra novidade é que “Monge Guerreiro” acaba de ser traduzido para a língua inglesa, em um trabalho realizado pelo tradutor Joao Lopes, com revisão de uma especialista nos Estados Unidos. O autor iniciará as conversações com as editoras americanas visando um dos maiores mercados literários do mundo. A editora italiana Newton Compton, além da Itália, também atua nos mercados da Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos.
Percorrer castelos milenares, adentrar fortalezas que testemunharam batalhas históricas e caminhar pelas vielas de pedras de vilarejos medievais espalhados por toda a Europa é quase uma obsessão para o escritor Romulo Felippe. Por trás da obra de fantasia medieval há uma busca incessante, em uma ampla pesquisa de campo, pela cultura e características que marcaram a Idade Média. Típico caçador de castelos medievais, o escritor acumula bagagem e quilometragem em suas andanças pelo Velho Continente.
Somente para a pesquisa de seu livro (inspirado a partir de fatos históricos ocorridos em 1238), Romulo dedicou os últimos cinco anos visitando nada menos do que 13 países europeus. “Como em geral os patrimônios da Idade Média estão localizados na zona rural, e muitas das vezes em locais de difícil acesso, precisei me deslocar de carro entre as regiões ou de um país ao outro. Já saí de Barcelona para visitar Carcassone, na França, por exemplo, tendo que atravessar os Apeninos. Ou da Alemanha para a Itália através dos Alpes. Horas ou dias de direção que valeram muito a pena”, relembra.
Pelas contas atualizadas do autor, devidamente anotadas em seu ‘diário de bordo’, ele rodou mais de 14 mil quilômetros de carro apenas nos últimos cinco anos – em sua caça constante pelos mais incríveis castelos medievais da Europa. “Meu objetivo era transmitir a realidade aos meus leitores, fazer com que eles sentissem de fato como era a vida dentro de uma torre de pedras ou o calor da lareira do salão de armas. Pelo retorno que estou recebendo de leitores e críticos, acredito que tenha alcançado esse desejo – o de transportar os fãs de ‘Monge Guerreiro’ para oito séculos atrás. E só a literatura tem esse poder, de tornar-se uma verdadeira máquina do tempo".
Como bom caçador de castelos e cidadelas medievais que é, o escritor elaborou uma lista dos principais lugares que visitou ao longo dos anos no Velho Continente. São os de sua predileção, dentre os mais de 50 patrimônios da Idade Média que percorreu no período de pesquisa do livro. E quem acredita que terminou, está enganado: Romulo Felippe está ampliando suas pesquisas para lançar, nos próximos anos, os três volumes restantes de “Monge Guerreiro” para finalizar a sua quadrilogia histórica. “Quem nunca sonhou em visitar um castelo, palco de amores, batalhas e eventos históricos? De carro, de trem ou até de bicicleta, a dica é pegar as estradas alternativas e rumar para esses verdadeiros museus a céu aberto distribuídos por toda a Europa”, ressalta.

Amigos do escritor e leitores de “Monge Guerreiro” também aproveitam a riqueza de detalhes da obra e as dicas de Romulo para conhecer ou mesmo redescobrir lugares novos no Velho Continente. É o caso, por exemplo, da cidadela medieval de Civita di Bagnoregio, na Itália: desconhecida pelos turistas, foi visitada em janeiro pelo cirurgião plástico Ariosto Santos e em março pelo casal Marly e Miguel Bassini após sugestão do autor (o local está inserido no livro); assim como a gerente Jeamie Modanês, que visitou Roma no começo do mês – devastada em uma batalha épica na literatura do capixaba - devidamente acompanhada do seu exemplar de “Monge Guerreiro”.
“O livro leva o leitor a uma jornada ampla, partindo de Jerusalém através do Deserto da Judeia, atravessando a antiga Constantinopla (hoje Istambul), seguindo através da Grécia Ortodoxa e o Reino da Bulgária para enfim percorrer toda a Itália, de Nápoles ao Reino de Veneza”, revela o autor. O livro pode ser adquirido nas livrarias capixabas ou através do site: www.mongeguerreiro.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *